Notícias

Abertura da CF no Santuário: "Igreja Católica e sociedade não podem ficar indiferentes ao tráfico humano"

A Igreja Católica e a sociedade se unem no combate a este tipo de crime, que atinge milhões de pessoas em todo o planeta.

Na abertura da Campanha da Fraternidade 2014 no Santuário Nacional de Aparecida, o Cardeal-arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis fez um apelo aos cristãos: "A Igreja Católica e a sociedade, em geral, não podem ficar indiferentes a esta situação de escravidão que atinge milhões de pessoas em todo o planeta", disse.

A Campanha da Fraternidade 2014 tem como tema "Fraternidade e Tráfico Humano" e lema "É Para Liberdade que Cristo nos Libertou (Gl 5,1)".

A missa, que também marcou a distribuição das Cinzas, ocorreu às 9h. Participaram cerca de 15 mil fiéis.

Segundo o Cardeal, a conversão pessoal do cristão deve despertá-lo para esta problemática enfrentada no mundo atual e movê-lo a ser parceiro no combate a este tipo de crime. "A nossa conversão social deve levar em consideração os problemas do nosso meio, como o desemprego, a fome, a miséria que são exploradas pelos traficantes. A nossa conversão eclesial deve nos levar a apoiar e a participar das iniciativas pastorais da Igreja no Brasil, nesta área", explica.

De acordo com informações divulgadas pela CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, mais de 20 milhões de pessoas são exploradas pelo tráfico humano no mundo: prostituição, adoção ilegal e trabalho escravo.

Mensagem do Papa - O papa Francisco divulgou nesta manhã uma mensagem para a Campanha da Fraternidade 2014. O pontífice falou da responsabilidade do cristão ao que se refere à dignidade humana.

"Queridos brasileiros, tenhamos a certeza: Eu só ofendo a dignidade humana do outro, porque antes vendi a minha. A troco de quê? De poder, de fama, de bens materiais... E isso - pasmem! - a troco da minha dignidade de filho e filha de Deus, resgatada a preço do sangue de Cristo na Cruz e garantida pelo Espírito Santo que clama dentro de nós: «Abbá, Pai!» (cf. Gal 4,6). A dignidade humana é igual em todo o ser humano: quando piso-a no outro, estou pisando a minha. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou! No ano passado, quando estive junto de vocês afirmei que o povo brasileiro dava uma grande lição de solidariedade; certo disso, faço votos de que os cristãos e as pessoas de boa vontade possam comprometer-se para que mais nenhum homem ou mulher, jovem ou criança, seja vítima do tráfico humano! E a base mais eficaz para restabelecer a dignidade humana é anunciar o Evangelho de Cristo nos campos e nas cidades, pois Jesus quer derramar por todo o lado vida em abundância (cf. Evangelii gaudium, 75). "