Notícias

O retorno do Festival Dilermando Reis em Guaratinguetá

A homenagem á Dilermando Reis surgiu através dos seresteiros de Guaratinguetá, o senhor Ermínio, José Roberto e Edmauro de Oliveira.

Por Carla Moura

Neste domingo (22) terá início em Guaratinguetá o “Festival Dilermando Reis 2013”. O festival teve sua primeira edição em 1996, porém, nas duas últimas administrações municipais o festival não foi realizado anualmente como vinha sendo feito anteriormente.

O objetivo do festival é de divulgar a obra de Dilermando Reis, ilustre músico guaratinguetaense, além de promover a cultura violonística e o intercâmbio entre músicos.

O festival será realizado até o dia 27 de setembro, no espaço Vivart, situado na Rua Guaranis, 121 - Pedregulho. E começa com novidades, pois em homenagem ao músico será inaugurada no cemitério onde o mesmo foi sepultado, uma placa em sua homenagem.

D acordo com Flávio Augusto, no futuro a intenção de fazer um memorial com as obras de Dilermando Reis.

Programação
22/09 - Domingo

  • 11h - Homenagem musical e descerramento de placa em homenagem ao artista junto ao seu túmulo - Cemitério do Pedregulho.


23/09 - Segunda-feira

  • 20h - Palestra e apresentação musical pelo biógrafo de Dilermando, o violonista e escritor Genésio Nogueira, do Rio de Janeiro.


24/09 - Terça-feira

  • 20h - Quarteto Mistura Fina, de Guaratinguetá, em seguida, o violonista Mário Eugênio e o bandolinista Milton Mori, ambos de São Paulo.


25/09 - Quarta-feira

  • 20h - Seresteiros de Guaratinguetá e em seguida a Orquestra de Cordas da UNESP de São Paulo.


26/09 - Quinta-feira

  • 20h - Concerto com o Violonista Paulo Porto Alegre, de São Paulo. Esta apresentação marcará o lançamento do seu novo CD.


27/09 - Sexta-feira

  • 20 h - Duo Dilermando Reis e, em seguida, Duo Siqueira Lima de São Paulo, encerrando o Festival.


Dilermando Reis

Dilermando Reis em Guaratinguetá, no dia 22 de setembro de 1916 e faleceu no Rio de Janeiro em 2 de janeiro de 1977, sendo filho de Francisco dos Santos Reis e Benedita Vieira Reis.

Começou a tocar violão com o pai, aos 10 anos. Em seguida, estudou com o violinista Lauro Santos e teve iniciação musical com o Maestro Benedito Cipoli. Aos 15 anos, conheceu em Guaratinguetá o violinista (cego), Levino Conceição, tornando - se seu guia em troca de aulas de violão, Viajaram por várias cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais, tocando juntos.

Em 1932 chegaram ao Rio de Janeiro (antigo Distrito Federal) quando infelizmente foi desfeita a dupla. Dilermando encontrou - se em dificuldades e para sobreviver, passando, então a lecionar violão por 25 anos.

Seu primeiro emprego como violinista foi na Rádio Guanabara, acompanhando calouros. Durante quatro anos foi um grande sucesso na Rádio Transmissora, executando solos de violão. Por falta de partituras foi obrigado a compor e em 1933, surgiram Iracema e Noite de Lua.

Dilermando desenvolveu a arte de compor e ao longo dos seus 44 anos como músico profissional, deixou aproximadamente 200 composições em diversos estilos como: valsas, choros, cateretês, guarânias, etc. Participou do conjunto criado por Pixinguinha, tendo oportunidade de acompanhar os maiores astros da música popular brasileira da época.

Em 1941 gravou o seu primeiro disco, com duas composições suas. A década de 50 foi o melhor período na vida do violinista. Foi seu apogeu suas músicas começaram a despontar nas mais belas vozes do país. Gozava da amizade do Presidente Juscelino Kubistchek, lecionando para sua filha, sendo nomeado para um cargo público, mas jamais deixou de lado sua arte.

A homenagem á Dilermando Reis surgiu através dos seresteiros de Guaratinguetá, o senhor Ermínio, José Roberto e Edmauro de Oliveira.