Notícias

Prato pintado por Monteiro Lobato é encontrado em cidade do interior

O prato foi doado na década de 70 pela filha de Monteiro Lobato, Martha, para compor um acervo literário que se instalou no município.

Um prato com uma pintura feita por Monteiro Lobato foi encontrado na Câmara Municipal da cidade que leva o nome do escritor, no interior de São Paulo.

A obra foi doada por Martha, filha de Lobato, para compor um acervo literário que seria instalado no município na década de 70.

O secretário de Cultura e Turismo de Monteiro Lobato, André Barreto, autor do livro “Monteiro Lobato - Cidade e Escritor”, acredita que a pintura tenha sido feita na fazenda que pertenceu ao avô de Lobato, no próprio município, entre os anos 1911 e 1917. “Possivelmente a família tenha doado o objeto por representar esse período em que o escritor passou por aqui”, afirma.
O livro traz uma foto do então prefeito, José Cauby de Oliveira, ao receber o prato junto com uma máquina de escrever pertencente ao escritor Cassiano Ricardo, nascido em São José dos Campos. A máquina também iria compor o museu, que nunca foi aberto e teve itens perdidos. Na época, a doação do prato foi noticiada pelo jornal Estado de São Paulo, confirmando a veracidade da obra.

A partir do registro no livro, duas funcionárias da Câmara identificaram o prato entre objetos guardados em uma caixa de madeira, que quase teve seus pertences jogados fora. “Não tinha conhecimento que Monteiro Lobato pintava e fiquei emocionadíssima de segurar nas mãos uma relíquia dessas”, conta Rosane Fujisawa, assessora do legislativo.

O prato possui uma rubrica do escritor, do mesmo modo como assinava suas gravuras, e foi encontrado bem conservado. “Este prato representa o patrimônio da nossa história e tem um valor inestimável, pois nunca tivemos registros palpáveis e visuais sobre a passagem de Monteiro Lobato pela cidade”, afirma Barreto.

O objeto também teria valor financeiro relevante, pois universidades federais contam com acervos de objetos pessoais do escritor. Em Taubaté, no fim de 2012, foi inaugurada pela prefeitura uma exposição destacando o lado pintor de Monteiro Lobato. A mostra conta com três obras originais pintadas em 1940.
Para Barreto, o trabalho de resgaste histórico do município teria contribuído para que a peça tenha sido encontrada. “As pessoas estão tendo maior conscientização sobre a importância da nossa história e contribuindo com fotos e objetos que representam nossa cidade”.

A relíquia encontrada está sendo protocolada pela Câmara e deverá compor um novo museu sobre Monteiro Lobato, planejado pela prefeitura. Para isso, a atual administração está tentando junto ao Governo do Estado a apropriação de um prédio que abrigará relíquias do escritor, pintor e patrono do município.

Informações do G1