Notícias

Prefeito Márcio Siqueira assume seu 4º mandato em Aparecida

É constrangedor assumir a prefeitura não sendo o mais votado na cidade” (Márcio Siqueira)

Este ano aconteceu no Brasil às eleições municipais que em muitos lugares foi um pouco tumultuado, pois muitos candidatos estavam impugnados, de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Muitos candidatos ainda não haviam sido julgados e com isso lançaram sua candidatura e em alguns municípios ganharam as eleições, como foi o caso da cidade de Aparecida. José Luis Rodrigues, popularmente conhecido como “Zé Louquinho”, ganhou as eleições com mais de 11 mil votos, porém, devido a irregularidades, não pode assumir o cargo de prefeito e assim sendo, o atual prefeito do município, Márcio Siqueira, continua na administração da cidade. Márcio Siqueira fala do plano de governo que pretende realizar em Aparecida. Jornal Vale Vivo - Quais são as diretrizes que o senhor vai seguir nesse mandato? Márcio Siqueira - Futuramente grandes eventos acontecerão no Brasil, que de certa maneira envolverá também Aparecida como, por exemplo, Copa do Mundo, Jornada Mundial da Juventude, Olimpíadas, entre outros eventos. Então, é fundamental que preparemos a infraestrutura da cidade, tanto do ponto de vista de bolsão de estacionamento, quanto do sistema viário e sanitários públicos, para atendermos a demanda. Outro fator que me preocupa bastante e para o qual temos que dar especial atenção, são os ambulantes. Outra questão é a Estação de Tratamento de Esgoto de Aparecida, obra que nos foi entregue no final de dezembro e que precisamos de mão-de-obra qualificada para poder operá-la. Estas são, basicamente, as questões que nos preocupam e temos que estar preparados para solucioná-las Jornal Vale Vivo - O senhor realizará mudanças no seu secretariado para o próximo mandato? Márcio Siqueira - Haverá mudanças no secretariado e ainda estamos definindo quais as mudanças que devem ocorrer, provavelmente a gente deve integrar uma e outra secretaria, para poder tentar enxugar um pouco as despesas e isso é uma exigência do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e para que a gestão seja mais racional, mais rápida, mais ágil, estamos pensando em algumas reformulações. Esse projeto tem que passar pela Câmara Municipal e os vereadores tem que aprova-lo. Jornal Vale Vivo - Alguns moradores reclamam da quantidade de lixo que se joga na rua próximo a quadra da Vila Mariana. Como o senhor pretende resolver o problema de resíduos na cidade? Márcio Siqueira - Aparecida teve uma mudança profunda em questão dos resíduos. Antigamente nós tínhamos aqui o nosso aterro sanitário; recolhíamos os lixos da cidade e levávamos para o nosso aterro sanitário, mais a Cetesb veio no inicio da nossa gestão e determinou que o nosso resíduo fosse transportado para a Cidade de Cachoeira Paulista, mas este tipo de serviço fica caro para o município. Ocorre, também, que quando nós assumimos a prefeitura, tínhamos poucas máquinas para remoção dos resíduos da cidade e o orçamento de 2012 não nos permitiu a aquisição de mais equipamentos, como, por exemplo, de um veículo leve para rodar nas principais ruas da cidade recolhendo os resíduos. Porém, outro fator que agrava essa situação é o fato de alguns munícipes colocarem seu lixo fora do horário de recolhimento, determinado pela prefeitura. Então, eu peço para os munícipes, que eles nos ajude, colocando os seus resíduos na rua, no horário certo. Jornal Vale Vivo - O Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) determinou que até janeiro de 2013, os municípios têm que apresentar o seu plano de resíduos de construção civil. Aparecida já está com o seu plano concluído? Márcio Siqueira - Estamos nos organizando. Temos um projeto que envolve toda área de saneamento do município, que nos foi repassado pela própria Secretaria de Saneamento do Estado. Porém, este tipo de trabalho não é fácil fazer, até porque nós temos uma tipicidade. Aparecida, durante a semana, possui cerca de 35 mil habitantes e no final de semana nos recebemos uma multidão. Então, temos que preparar um projeto compatível que atenda a população local e a população flutuante. Mais esperamos entregar o projeto dentro do prazo, até porque é uma exigência de lei. Jornal Vale Vivo - A justiça sequestrou 3 milhões dos cofres da prefeitura para pagar uma divida adquirida, pelo município, no ano de 1990, o que prejudicou vários setores da administração pública, principalmente o pagamento da 2° parcela do 13° salário. Como o senhor pretende resolver essa situação? Márcio Siqueira - É um problema ocasionado pela gestão passada que não pagou a divida e por conta disso a justiça mandou bloquear todos os recursos financeiros da prefeitura, que está indo direto para a conta do Tribunal da Justiça até completar o valor de três milhões e duzentos mil reais. Nós entendemos que a divida é legal, porém o valor do terreno naquela época era aproximadamente R$600 mil reais e a prefeitura agora está sendo obrigada a pagar um valor muito mais alto. Fomos pegos de surpresa, mas completando o valor, vamos entrar com uma petição, no fórum da comarca, para pedir que não haja mais retenções de recursos nos bancos, para que assim, a gente fique liberado e possa pagar a 2° parcela do 13° salário. Jornal Vale Vivo - Há muitas reclamações referente à rodoviária de Aparecida, principalmente na questão de segurança e limpeza. Como essa questão será resolvida? Márcio Siqueira - A situação da rodoviária é complicada e é difícil procurar uma solução para ela. Até porque na década de 70 foi assinado um contrato entre a Prefeitura de Aparecida e a Sociedade Bandeirante Planejamento e Venda dando-lhes a concessão da rodoviária. Com essa concessão do poder público municipal e dentro dessas conversões foram sendo incorporados novos dispositivos legais, novos decretos, leis, enfim toda uma gama de documentos que lhes dão muitos privilégios. Deve haver um entendimento entre prefeitura e a SBPV, há de se ter um acordo entre as partes, não pode ser unilateral. É preciso sempre se colocar que a rodoviária não pertence ao município e sim a um empreendimento privado e temos tentado sensibiliza-los sobre melhorias que necessitam ser realizadas no local. Na próxima gestão vamos procurar, também, uma alternativa, como por exemplo, a implantação de um terminal rodoviário na periferia da cidade, para desafogar o trânsito. Assim as empresas de ônibus circularão nas adjacências e não na região central, comprometendo o nosso sistema viário. Jornal Vale Vivo - Os taxistas entregaram à promotora Cátia de Souza Módolo, em maio de 2012, um abaixo assinado pedindo a fiscalização dos transportes clandestinos. Como esta fiscalização tem sido realizada? Márcio Siqueira - Antigamente a fiscalização era feita pela Policia Militar do Estado de São Paulo, através de um convênio firmado entre a prefeitura e a Secretaria de Segurança Pública. Devido a esse convênio, a prefeitura repassou para a Policia Militar, cerca de R$400 mil reais e infelizmente temos que reconhecer que pouca coisa foi feita. A questão do trânsito não envolve somente os aspectos urbanos do município, mas também, aspectos intermunicipais que deve ter a fiscalização da Artesp. Recentemente a prefeitura achou por bem manter a guarda municipal no trabalho de trânsito e, assim, melhorar a fiscalização. Eu recebi o documento do Ministério Público e estamos interessados em dar um suporte para os taxistas, até mesmo porque eles estão regularmente credenciados no município e não é justo que eles sofram com a concorrência desleal. Por outro lado, se existe o transporte clandestino é por culpa do serviço deficiente da empresa de ônibus que trabalha no município de Aparecida. Se eles fossem mais ágil este tipo de transporte seria desimado. No futuro quero procurar a empresa de ônibus e buscar um entendimento para que a prefeitura possa buscar outras alternativas para o transporte coletivo. E assim, atender o interesse da população. Jornal Vale Vivo - Nessa última eleição a população deixou claro, nas urnas, que não estão satisfeito com a sua administração. Como é assumir uma cidade nessas condições e o que o senhor pretende fazer para reverter essa situação? Márcio Siqueira - É constrangedor assumir a prefeitura não tendo sido o mais votado, mas as eleições demonstram que ninguém está acima da lei. O que lamentamos é que a justiça eleitoral não tenha sido ágil no sentindo de impedir os candidatos, que não estavam em condições legais, de disputar as eleições. E outra, ninguém pode negar o mérito do Zé Louquinho, em termos de comunicação, que ele tem com a população, sobretudo com o eleitorado mais jovem. Ele tem o seu valor e ninguém pode negar isso. Eu, sinceramente, não acho que a administração anterior tenha feito um mau governo, a prefeitura caminhou bem, fez muitas obras, a cidade está melhorando, melhoramos o salário dos nossos funcionários, fizemos plano de carreira para os nossos professores, construímos novas creches, estamos fazendo a Estação de Tratamento de Esgoto para tratar 100% da água de Aparecida, construímos casas populares, entre outras obras. O que talvez tenha prejudicado um pouco o conceito da população em relação a administração, provavelmente deve ter sido a indicação de alguns assessores que fizeram parte do governo e sobretudo o problema da prefeitura em relação aos recursos financeiros em caixa para poder bancar as despesas da administração municipal. Devido aos problemas financeiros a prefeitura teve que tomar certas medidas que não dever ter sido simpática para a população como, por exemplo a cobrança das taxas de resíduo, de bombeiro, de luz, enfim, temos que entender o recado da população e melhorar nossas avaliações, rever os nossos erros. E sinceramente não me envergonho da minha gestão, nós trabalhamos com responsabilidade. Matéria publicada no Jornal Vale Vivo http://issuu.com/jornalvalevivo/docs/edicao45/5