Notícias

Hepatite doença silenciosa que pode causar diversos danos a sua saúde

A hepatite ataca diretamente o fígado

Hepatite, doença que ataca diretamente o fígado e que pode ser desenvolvida por diversos fatores. Por ser uma doença silenciosa muitas vezes quando a pessoa começa a sentir algum sintoma o fígado já está comprometido.

O fígado é um órgão de extrema importância para o nosso organismo, pois é responsável por várias funções vitais em nosso corpo como:

Receber os nutrientes e as substâncias absorvidas no intestino;
Transformar a estrutura química de medicamentos e outras substâncias, para suavizar, inativar ou ativar essas substâncias através da ação das suas enzimas;
Armazenar nutrientes como glicose e aminoácidos para serem usados posteriormente pelo organismo;
A partir desses nutrientes, produzir várias substâncias usadas pelo organismo, como proteínas e lipoproteínas;
E produzir a bile, um líquido verde e denso que auxilia o intestino na digestão de gorduras.
Levando em consideração que a hepatite é um problema de saúde pública mundial, o Ministério da Saúde no Brasil intensificou as orientações sobre a doença, e lançou "As hepatites podem estar onde você menos espera".

As hepatites existentes são: A, B, C, D e E, sendo que no Brasil as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C.

Sintomas

A maioria dos sintomas da hepatite também surge em outras doenças, o que dificulta um diagnostico preciso da doença. Sendo assim, a visita periódica ao médico é fundamental para que todos os exames sejam feitos adequadamente, e caso seja detectado alguma hepatite viral a mesma possa ser tratada adequadamente.

Os sintomas mais comuns são:

Febre;
Fraqueza;
Mal-estar;
Dor abdominal;
Vômitos;
Perda de apetite;
Urina escura ;
Icterícia (olhos e pele amarelados);
Fezes esbranquiçadas
Tipos de hepatite

Hepatite A: Conhecida também como "hepatite infecciosa" a mesma é ocasionada pelo vírus A (VHA). Esse tipo de da doença é transmitida através de fecal – oral, por contato com as pessoas, alimentos ou água contaminada pelo vírus.

Geralmente essa espécie de hepatite se manifesta após 15 a 50 dias após a infecção. A mesma pode ser diagnosticada através do exame de sangue.

Para se prevenir contra a hepatite A devemos seguir as seguintes orientações:

Lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas e antes de comer ou preparar alimentos;
Lavar bem, com água tratada, clorada ou fervida, os alimentos que são consumidos crus, deixando-os de molho por 30 minutos;
Cozinhar bem os alimentos antes de consumi-los, principalmente mariscos, frutos do mar e carne de porco;
Lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras;
Não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes, enchentes ou próximo de onde haja esgoto a céu aberto;
Evitar a construção de fossas próximas a poços e nascentes de rios, para não comprometer o lençol d’água que alimenta o poço.;
Caso haja algum doente com hepatite A em casa, utilizar hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária ao lavar o banheiro;
No caso de creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas, adotar medidas rigorosas de higiene, tal como a desinfecção de objetos, bancadas e chão utilizando hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária.
Hepatite B: Ocasionada pelo vírus B (HBV) e também conhecida como soro – homólogo, essa hepatite tem o seu vírus presente no sangue, no esperma e no leite materno. Além disso, a hepatite B é considerada pelos especialistas como uma doença sexualmente transmissível, mais a doença também pode ser adquirida através do compartilhamento de drogas por seringa, agulhas ou cachimbos; pela lâmina de barbear e depilar, escova de dentes, alicates de unhas, transfusão de sangue, pela confecção de tatuagem, colocação de piercing e também pelo leite materno.

Para se evitar a hepatite B é necessário seguir as seguintes orientações:

Tomar as três doses da vacina;
Usar camisinha em todas as relações sexuais;
Não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, material de manicure e pedicure,
Além disso, toda mulher grávida precisa fazer o pré-natal e os exames para detectar a hepatites, a aids e a sífilis. Esse cuidado é fundamental para evitar a transmissão de mãe para filho. Em caso positivo, é necessário seguir todas as recomendações médicas, inclusive sobre o tipo de parto e amamentação.

Hepatite C: Chamada também como "hepatite não A não B", a mesma é ocasionada pelo vírus C (VHC). A hepatite C também está presente no sangue e pode ser transmitida por transfusão de sangue, compartilhamento de seringas em uso de drogas, lâminas de barbear e depilar, alicates de unhas e através do ato sexual sem preservativo.

Para a hepatite C não existe nenhuma vacina mais para evita-la basta seguir as mesmas recomendações da hepatite B.

Hepatite D: Também chamada de Delta, essa hepatite é causada pelo vírus D (VHD), porém, esse vírus depende da presença do vírus do tipo B para infectar uma pessoa.

Sendo assim, a forma de transmissão e prevenção da hepatite D são as mesmas da hepatite B.

Hepatite E: Causada pelo vírus VHE a hepatite E raramente ocorre no Brasil, esse tipo da doença é muito comum na Ásia e África. A maneira de transmissão e prevenção dessa hepatite é semelhante com a hepatite A, sendo que a única diferença é que a hepatite E se manifesta após 15 a 60 dias da infecção.

Diagnóstico e tratamento

Em todos os tipos de hepatites os mesmos são diagnosticados através da realização do exame de sangue, e somente após a identificação de qual tipo de hepatite o doente possui que o médico indicará o tratamento adequado.

As pessoa mais vulneráveis a contrair algum tipo de hepatite são aquelas que já passaram por transplante de órgão, que recebeu transfusão de sangue, pacientes de hemodiálise, pacientes hemofílicos, usuários de drogas, indivíduos cm diversos parceiros sexuais, familiares com histórico de hepatite e profissionais da área da saúde.

Vacinação

Atualmente existem vacina de prevenção somente para hepatites do tipo A e B, sendo que a vacina de hepatite B pode ser encontrada nos postos de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde), e a vacina da hepatite A pode ser pedida nos Centros de Referência de Imunobiológicos (CRE).

Para a hepatite C ainda não foi desenvolvida nenhuma vacina, por isso é necessário que haja um controle adequado da doença.

Caso esteja sentido algum dos sintomas citados procure um profissional de gastroenterologia, hepatologia, infectologia e em casos de criança um pediatra para analisar o seu caso.

Matéria publicada no Jornal Vale Vivo

http://issuu.com/jornalvalevivo/docs/edicao37